Resumo da reportagem televisiva em 15/04/2002 na TV Paranaense, com Euclydes de Souza, presidente da Apase Paraná, Dra.  Lenice Podstein, Juíza Titular da Segunda Vara de Família da Comarca de Curitiba, PR, e Marilza Mestre, psicóloga. 

  Separação de casais  
 

O crescente número de casais separados foi debatido no Globo Comunidade pelo presidente da Associação de Pais Separados, Euclydes de Souza; pela juíza da Segunda Vara de Família, Lenice Podstein e  pela psicóloga Marilza Mestre.
Para a psicóloga, a melhor forma de enfrentar uma separação é contando a verdade aos filhos. “O casal está deixando de viver sob o mesmo teto, mas jamais os dois vão deixar de ser pais"
Mas Marilza Mestre afirma que o ideal é dizer apenas o essencial, pois a criança não precisa e nem quer saber de detalhes. Segundo Marilza, são os pais que querem justificar suas falhas dando aos filhos explicações exageradas.
Já a juíza Lenice Podstein, da Segunda Vara de Família de Curitiba, explica que hoje, a Justiça é mais flexível e tenta satisfazer o desejo dos pais.
Quanto à guarda das crianças, a juíza diz que há fases em que os filhos preferem ficar com a mãe, e outras, com o pai. "A orientação atual é que os filhos passem parte do tempo com cada um.  O que existe hoje é um princípio de proporcionalidade.  Não é quem paga pensão, é quem sustenta proporcionalmente.”
Para ela, o ideal é que cada um arque com 50%; e o mesmo vale para as chamadas uniões informais, hoje em grande número, no país.
O Globo Comunidade também abordou a guarda compartilhada, um modelo de educação de filhos que prevê a participação do pai e da mãe em tudo que a criança faz.
Existem dois modelos: um deles, em que o filho passa 15 dias com o pai e 15 com a mãe. O outro prevê a participação de mãe e pai no dia-a-dia da criança.
Mas para isso, é preciso haver um bom relacionamento do casal, o que muitas vezes não ocorre.
Para a psicóloga Marilza Mestre, ter duas casas nem sempre é o melhor, pois a criança pode ver ganhos imediatos. Ela explica que a criança se sente mais protegida e mais amada quando ocorre a guarda compartilhada.
Esse modelo de educação também é defendido pela Associação de Pais Separados, que apóia pessoas que decidem se divorciar. Os casais podem dispor do trabalho de psicólogos, assistentes sociais e ter ainda assistência jurídica.
Informações detalhadas sobre as atividades da associação podem ser encontradas no endereço: www.apase.com.br

VOLTAR