ÍNTEGRA DA NOTÍCIA VEICULADA NO "JORNAL NACIONAL" DA TV GLOBO, NA EDIÇÃO DO DIA 27 DE JANEIRO DE 2001.

GUARDA COMPARTILHADA

 Uma nova Lei nos Estados Unidos está mudando o comportamento de casais que resolvem se divorciar. Em sete Estados americanos a guarda dos filhos está sendo dividida entre o pai e a mãe.
     Márcia se divorciou e conseguiu ficar com as filhas, mas as meninas sempre vêem o pai. "Nos dois fazemos o possível para que as duas não sofram", diz Marcia.
     Brad, o ex-marido, conta que desistiu de lutar pelas filhas na justiça, não queria que as meninas vissem os pais brigando por elas. O final feliz dessa história é o resultado de uma nova Lei em sete Estados americanos.
     Na maioria dos casos de divórcio nos Estados Unidos, como no Brasil, a mãe ganha a custódia integral dos filhos. O pai tem que pagar a pensão alimentícia e só vê as crianças de vez em quando. 
     Mas isto está começando a mudar. Sai a custódia, entra a responsabilidade compartilhada entre os pais.
     A nova Lei obrigou Márcia e Brad a chegarem a um entendimento.
     Antes do divórcio, quanto tempo o pai dedicava às crianças? E a mãe? 
     Depois da separação, cada um terá o mesmo tempo com os filhos que tinha antes. Se a responsabilidade dos pais for igual, e a renda dos dois também, o pai não tem que pagar pensão. Tudo é dividido meio a meio.
     Em alguns Estados, os pais que se divorciam são obrigados a fazer um curso, eles aprendem que cada um é responsável pela criação dos filhos para sempre.
      A nova Lei está provocando uma queda no número de divórcios litigiosos. Segundo uma professora de Direito da Universidade do Estado de Iowa, em dois terços dos casos é a mulher quem pede o divórcio na esperança de ficar com os filhos e ganhar a pensão.

    VOLTAR