Cidade na Itália cria abrigo para pais separados

(BBC Brasil com - 03.12.2004)

Até que a morte os separe. Caso contrário, abrigo pode virar opção

A Itália está inaugurando nesta sexta-feira o seu primeiro abrigo para refugiar pais divorciados.

 

A iniciativa, na cidade de Bolzano, no norte do país, é custeada pelo governo local e é considerada um importante passo para reconhecer os direitos dos homens que têm filhos e vivem sozinhos.

Para se candidatar a uma vaga, os divorciados precisam provar que, após pagar as pensões para ex-mulheres e filhos, dispõem de menos de 600 euros (R$ 2,2 mil) para passar o mês.

O abrigo possui cinco suítes, uma grande área comum e um terraço ideal para crianças brincarem.

 

Experiência

 

O projeto-piloto de Bolzano pode ser difundido para outras partes do país.

A idéia tem tido boa receptividade em uma sociedade que está vendo as taxas de divórcio dispararem.

Os pais costumam acreditar que saem perdendo na separação – estatísticas mostram que, em 90% das vezes, são as mães que ficam com as crianças e as propriedades.

Um grupo de defesa dos direitos dos papais também está batalhando para que uma nova lei sobre custódia das crianças seja apresentada ao Parlamento no ano que vem.

Fonte:

X
X

Pais divorciados ganham abrigo na Itália   
Para socorrer os homens que têm de abandonar suas casas e pagar pensão, depois da separação, surgiu o primeiro abrigo para divorciados, em Bolzano
Claudio Rostellato     (07/12/2004

A casa comunitária tem 5 quartos, banheiros, cozinha e demais ambientes, que são alugados aos descasados a módicos 200 euros/mês. A iniciativa de criar o abrigo partiu de uma associação que orienta casais em crise, depois de perceber que é grande o número de homens que encontra dificuldade para sobreviver após o pagamento da pensão a ex-esposa e filhos.

Para ter direito a se hospedar no abrigo o descasado deverá comprovar que paga pensão e fica com recursos inferior a 650 euros. O primeiro abrigo para homens divorciados da Itália começou a funcionar no sábado na pequena Bolzano, mas brevemente deverá ganhar homônimos em outras cidades italianas.

Segundo Elio Cirimbelli, que preside a associação, a experiência do trabalho realizado por mais de 20 anos com casais, mostrou a carência de ajuda ao parceiro que teve de deixar a casa, que coicidentemente, quase sempre é o pai. As despesas do abrigo recebe recursos (parcial) do governo, complementado pela associação e pelo aluguel mensal pago pelos hóspedes.

(Claudio Rostellato - CIB Notizie

Fonte:

VOLTAR