APASE - Associação de Pais e Mães Separados
www.apase.org.br

X

CLAYTON GILES - 01

 

X

Download

X

Bem vindos. Meu nome é Clayton Giles. Eu tenho 14 anos. Eu iniciei Legal Kids para oferecer aos filhos do divórcio, como eu, um local para interagir. Mas agora Legal Kids se tornou uma voz clamando por mudanças.
     Em 01/01/2001 iniciei uma greve de fome que durou 19 dias. Isto causou uma grande comoção, com crianças e adultos de todos os locais se envolvendo. Voce poderá ler notícias sobre em greve de fome .
     Tudo que eu queria era que meu pai tivesse a minha guarda. Eu fugi para a sua casa um ano antes, mas a minha mãe ainda tinha a guarda.  Antes disto eu não o via três anos porque meu direito a ele me havia sido suprimido.
     Cada vez que íamos a juízo com solicitação de mudança de guarda, nos diziam, voltem mais tarde. Finalmente, depois de 10 meses eu estava cheio. Eu escrevi uma carta para o juiz veja carta . Ele me ignorou. Então resolvi fazer a greve de fome.
     Houve grande cobertura da imprensa para minha greve de fome, a qual eu não anunciei. Eu fiz piquete todos os dias em frente ao tribunal. Recebi telefonemas e e-mails de todo o mundo.
     Milhares de pessoas visitaram minha página na internet, assinaram meu livro de visitas e me mandaram mails. No 12o. dia o serviço social interveio e  houve a possibilidade de me levarem a força e me alimentarem de qualquer maneira. Enquanto isto eu subsistia bebendo água, suco de uva e Gatorade.
     Eu terminei minha greve de fome no 19o. dia, 19 de Janeiro 2001. Veja a notícia Eu atingi tudo que eu poderia atingir. Mas ainda não parei de lutar pelos direitos das outras crianças.
     Em abril iniciarei uma viagem, Irei de Ottawa(Canada) até Washington D.C. (USA). No caminho irei recolhendo histórias e assinaturas de crianças e adultos que forem favoráveis a que filhos de pais separados tenham acesso aos dois pais, e para que aquelas crianças possam se manifestar em quaisquer procedimentos jurídicos que afetem seu contato com qualquer dos dois.
     As crianças raramente tem qualquer controle de suas vidas quando o divórcio dos  pais acontece. Para os tribunais nós não somos nada mais que uma propriedade a ser presenteada ao genitor que a corte decidir. Os genitores garantem o favorecimento dos tribunais gastando grandes somas em advogados, psicólogos e custas, exatamente quando este dinheiro mais seria necessário para manter a família que agora tem duas casas e que tem despesa dobrada. No final, o dinheiro que nossos pais poderiam ter gasto na família vai para qualquer outro lado.
     Meu objetivo é fazer com que todos percebam que as crianças são humanas, não propriedade, e que desejamos ser ouvidos da mesma forma que nossos pais. Isto significa que nem sempre o que é bom para nossos pais é bom para nós. Isto significa que queremos ter voz ativa ao que nos acontece quando nossa família se rompe. Só porque crianças não sabem explicar exatamente porque queremos algo, não significa que não saibamos o que queremos. Queremos ser felizes. O que nos faz ser felizes é o máximo contato com ambos os pais a despeito do que um pensa do outro. É assim tão complicado???
     Para ver o que minha vida tem sido desde que comecei a enfrentar a justiça vá para http://www.legalkids.com .
     Espero que possamos nos organizar o suficiente para modificar as coisas de modo que os juízes no ouçam.

Veja o Site "Legal Kids"em inglês

X

VOLTAR