Há um ano Elaine César se foi,  deixando lições de resistir, perseverar, amar e viver

Veja o artigo: Qual é o limite na intimidade familiar entre pais e filhos?

27/01/2012 - 00h00

Elaine Cesar (1968-2012) - Cineasta, lutou contra o câncer na gravidez

Quase ao mesmo tempo, no fim de 2010, a cineasta, publicitária e videomaker Elaine Cesar descobriu, aos 42 anos, que estava grávida e que tinha câncer.

Dali em diante, lutou contra a doença, viu nascer seu filho caçula, Rudá, e lançou um importante documentário, "Evoé! Retrato de um Antropófago" (2011), sobre José Celso Martinez Corrêa.

Durante todo o processo manteve ativo o blog Câncer, Gravidez e Alienação Parental (elainecesar.blogspot.com), que o marido, Fred Steffen, pai de Rudá, decidiu manter no ar mesmo após sua morte, ontem pela manhã, em decorrência do linfoma.

Do casamento anterior, a paulistana, nascida Gilza Elaine Pinto Cesar em 1968, deixou Théo, de quatro anos. O filho mais velho foi alvo de disputa judicial com o ex-marido, que pediu a guarda da criança.

O assunto alcançou repercussão na época e virou tema dos textos de Elaine em seu blog em 2011. A cineasta ganhou apoio de diversos amigos e artistas.

CARREIRA

Formada em comunicação pela Fundação Armando Alvares Penteado, em São Paulo, Elaine foi também amante das artes cênicas.

Após trabalhar em produtoras como a Academia de Filmes, a 5.6 e a Conspiração, a partir dos anos 2000 se aproximou do grupo Oficina.

Ali dirigiu projetos videográficos e de captação de peças, como o de "A Luta I", uma das cinco partes da montagem de "Os Sertões", adaptação da obra de Euclides da Cunha pelo Oficina.

A partir dessas experiências, se aproximou também do diretor José Celso Martinez Corrêa, o que resultou na curadoria de exposição sobre o encenador no Itaú Cultural, em 2009, e em "Evoé", bem recebido no fim do ano passado pela crítica .

Sobre o longa, dirigido ao lado do cineasta Tadeu Jungle, Elaine postou em seu blog, há cerca de dois meses: "Mais que um filme, é um sopro de energia".

Energicamente, usou a página para se engajar em questões que considerava relevantes. Além da disputa, falou sobre campanhas de doação de órgãos e de solidariedade para pacientes com câncer.

Em seu último post, no dia 13 de dezembro passado, se despediu com uma frase do escritor João Ubaldo Ribeiro: "Deus não tem pressa nenhuma, para Ele tudo é ontem, hoje e amanhã, só quem vive dentro do tempo somos nós"

____________  *****  ____________

Há um ano Elaine César se foi,  deixando lições de resistir, perseverar, amar e viver

http://sindromealienacaoparental.blogspot.com.br/2012/02/perdemos-elaine-cesar.html

 

Perdemos Elaine César

Textos retirados do Blog da ONG APASE, cujo link está acima, os textos em azul foram copiados à época do Blog da Elaine César e os textos em preto escritos por nós.

Mais um erro crasso do judiciário:

"Mães com câncer não devem exercer a maternidade".

"Acabamos de chegar do Palácio da Justiça.
Acabo de ter certeza que mais uma etapa foi perdida.
Mais uma acusação foi feita.
Além de ser sustentada todas as outras acusações, foi decidido que a guarda, ainda que provisória, continua permanecendo ao pai." Elaine César

Frase extraída da decisão de Desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo:

"A criança está mais em segurança junto a companhia do pai e da Tia, pois a mãe, além de ter uma profissão que não a permite educar uma criança , está com câncer levando uma gravidez de risco e tem um novo relacionamento."

 

Tempo. Silencio. (Esperamos passar a emoção para publicar a morte de Elaine)

"Deus não tem pressa nenhuma, para Ele tudo é ontem, hoje e amanhã, só quem vive dentro do tempo somos nós."

João Ubaldo Ribeiro

Volto a escrever logo, prometo".

 

A mãe Elaine, nobre de espírito e bem assessorada, nunca dificultou o contato do filho com o pai. Inclusive, desobedeceu ao judiciário e facilitou a convivência do filho com o pai após a inversão da guarda. Isto não aconteceu enquanto o pai manteve a guarda. Analdino Rodrigues Paulino Neto

Um verdade que não quer calar:
Conhecida psicóloga de São Paulo deu sustentação profissional às acusações do ex-marido da Elaine. Eu estive no apto da Elaine. na Av. Paulista, por diversas vezes. Inclusive almocei com ela. Em outra oportunidade fiz lanche. As visitas que a Elaine tinha com o filho eram monitoradas por uma não sei se enfermeira ou assistente social da confiança do seu ex-marido. Cheguei a ver esta senhora na casa da Elaine quando ela recebia o filho para visitas. AGORA PERGUNTO: como que a Elaine, estando grávida de últimos meses, padecendo de câncer e com a pessoa de confiança do ex-marido em seu apto., poderia abusar sexualmente do filho? Considerando que a mulher funcionava como uma sombra da Elaine e do filho? Alguém está mentindo. Acho abominável, anti-ético e anti-profissional alguém cometer acusações absurdas a uma pessoa que está morta e não pode se defender. Principalmente após um juiz determinar inversão da guarda e entregar o filho à Elaine, por considerar que a criança estava em situação de risco. Há alguém aqui que não tem bom senso, nem limites e não respeita as pessoas. será que é a corrida desenfreada em busca de dinheiro ou simplesmente incompetência. Fica a pergunta. Analdino Rodrigues Paulino Neto. www.apase.org.br

Realmente uma pena! O desperdício da vida da Elaine, no convívio com o filho...E de tantos outros que vivem situações parecidas. Acorda judiciário, acordem aqueles que se encontram nestes embates sem fim. Vamos lutar pela vida e não pela morte! Andreia Calçada

 

Um sonho...

Apareceu desta vez saindo do coma,
As portas que fechavam com as forças do vento...
Viram que neste momento, o sopro nasceu!!!
Não só em mim, nas minhas margens o sertão passou a mar
Descobri que acordei com um certo ar...

Depois de tanto tempo
Vi agora sem o coma, 
Como se fosse uma amêndoa que sai da casca
E os meus olhos acordam na madrugada
Justamente quando iria te perguntar... 
Faz tanto tempo que queria te ver assim
Demoro a entender quem sou eu dentro de mim

Mas você me acordou
e o ano começou exatamente quando um ano se fez 
dessa ausência embriagues 
que durante todo o ano que se passou
me fez entrar mais em mim do que o próprio ano que se foi

Acordei neste momento alegre de te ver acordar....

Sempre vou te amar! 

“Lápida”
Tudo que perde e foi
Nada esta escondido
Simplesmente quase um oi
Um amor... E vem de tantos filhos vindo do mesmo ninho
Nada esta perdido
Eu quero olhar nos olhos da vida
E falar que o amor enxerga muito mais
Não é um ser que apenas veio para viver
Eu te quero mesmo assim...
Fotografias livros filmes pra contar...
Que depois de você sou um cara melhor
Que dei tudo para te ter...
E tive o seu melhor...
Sua eternidade minhas pernas que agora “Lápida”
Como eu sempre te vi
Cada dia suas crias estão em mim...
Meu coração aberto lado
Do outro lado fico seio
Vem dois lados e agora posso andar...
Sem ele eu sou ninguém
Coração pede licença
Para o amor assentar...
E vem lugar desconhecido
Ainda adormecido
Transbordando ente o corpo que agora “Lápida”
Que não sabe onde vai molhar...
Mas nada existe além do amor...
Mas nada existe além do amor...
Nem tudo esta perdido
A dor é doce e salga mais
Quando a pele esta coberta
Cada toque um ouvido da magia de olhar
Não preciso de você para dizer que quero mais
Desta forma o fardo é leve
Minha epiderme tem você
No cheiro da cama vejo cê
Minhas mãos tocam as roupas
Que me faz ser vestido sem toucas...
Nunca escudos!!!! Espadas sim!!!!
Da medula até o fim...
De sermos animais...
Seu amor me fez amor...
Olhos livres a cada dia de encontrar um novo amor....
Agora estou mais perto de mim
Meu coração agora bate, para outra eternidade, que sei, não tem fim...
Amor de todos os mortais
Que dar a maçã...
Na mão de “Vera” “Semele” permeia em forma de “iemanjá”... 
Me vem com aguas “anduladas”
Claras turvas e de uma mulher que vou ter sempre para mim
Vem me beijar...
Me deite que sou só eu...
Qualquer que seja este labirinto...
Nos sonhos vou te encontrar
Das formas do sonhar
Magia diz que paira aqui
Vejo você em qualquer lugar...
Mas agora não toco em você....
A não ser nos lenços que ondulam sua escultura
Me faz despertar de um sonho que quer mais...
Agora, mais que nunca, você aparece do jeito que quiser...
E meu sonho não é mais sonho
Me despertou que a vida é....
Um banho de pele que fecunda outras para nunca deixar de existir...
Nosso deus do amor
Mais que nunca agora...
“Tupi or not Tupi”
nos sonhos te tenho para sermos de qualquer tribo...
nosso deus do amor é ser... “Rudá”!!!!.....,,,,!!!!....
Penso em que...
E no que fazer...
“Ser ou não ser”... ou Rimbaud... “Temporada no inferno”!!!!
Mas ambos amaram como amo...
“Diferenças, só no costume”
Que acorde virá?
Sem duvida os Deuses tem a maestria
Até encontrar uma harmônia que possa sorrir e chorar de alegria na...

TRAGIOCOMEDIAORGIA


 “Evoé”


 Fred Steffen para meu amor Elaine Cesar.


 Um ano da sempre amada Elaine Cesar!

 

Há um ano Elaine César se foi,  deixando lições de resistir, perseverar, amar e viver

Com Elaine César temos a clareza de que o amor e a vida são a prioridade do universo:

O amor e a vida nasceram para brilhar, atravessar barreiras, iluminar as estrelas, brilhar a lua, esquentar o sol e mover o ciclo da natureza.

Andar sobre o mar, sobre as nuvens, sobre os preconceitos e se juntar à pureza de uma criança, da emoção das pessoas que se amam, do esplendor do universo.

Elaine deixou lições de resistir, perseverar, amar e viver.

Um beijo fraterno e perene, em nome de todos que como você não se cansam e resistem em busca do futuro e da liberdade de viver e amar..

Analdino, www.apase.org.br

Ir para a página principal: www.apase.org.br